RSS

Arquivo da categoria: Ahhh sei lá, entende?!

Sem final e ponto

reticencias (1)

 

Existe algo mais drástico do que o ponto final? As vezes a frase está ali, gritando, implorando para não ser interrompida, para ter a oportunidade de vazar pelas entrelinhas… Para ter a possibilidade de ser qualquer coisa, e nada ao mesmo tempo.. As reticências possibilitam isso…

O abstrato e a plurissignificação da linguagem me atraem demais para que eu tente cercear o direito que a palavra tem, de se multiplicar.. Deixem as palavras livres! Elas também têm vida… ou deveriam ter!

Anúncios
 
Deixe um comentário

Publicado por em 27/03/2013 em Ahhh sei lá, entende?!

 

Deixe rolar

Jogue fora,

A razão,

Rasgue,

Seus pudores.

Sinta,

Na pele,

Arranhe,

Bem fundo…

Deixe o arrepio,

Tomar,

Conta,

Esqueça,

O Mundo,

Enlouqueça…

Ouça,

De pertinho,

O sussurro… [ouça…]

O suspiro

Ao pé,

Do ouvido,

Perca,

Os sentidos…

É preciso

se perder,

Pra se achar…

Ouça,

Esqueça,

Enlouqueça!!

Sinta,

Os braços,

Ao redor,

Amor…. [sinta]

Sinta o frio,

Que vem,

Com o calor,

Infernal,

Calor que nos queima,

Por dentro,

Por fora…

Queimando,

Nossas vergonhas.

Deixe

O suor

Rolar………….. [suar]

Até pingar.

 
5 Comentários

Publicado por em 20/09/2011 em Ahhh sei lá, entende?!

 

O meu amor partiu

Já não me desespero, não me descabelo mais;
Já não espero que esperes por mim;
Já não quero que me queiras, nem quero querer;
Já não sinto não sentir-me tua. Sinto-me bem assim. Inteira.
.
.                                     Ressentimento pressentido,

Envolvimento anunciado,

                                 Corpos corrompidos,

.

Mudos, surdos, desconfigurados…
Passos descompassados,
Sentidos deturpados,
Caminhos desencontrados,
Tortos, curvos, mal sinalizados…

Parti, partida.
Acabei, acabada.
Venci, vencida.

.

Entre partir e ficar existe apenas uma porta, mas entre amar e odiar existe, no mínimo, um coração.

 
.
 

.

..

O meu amor partiu
Cansou dos meus vícios
E mesmo que amanhã ele volte com outro feitiço
Hoje, o meu amor partiu
E nada vai
Nada vai mudar isso

‘Nada vai mudar isso’  – Paulinho Moska

 
8 Comentários

Publicado por em 08/09/2011 em Ahhh sei lá, entende?!

 

A última rosa


Vendo chaplin, me lembrei de você.. Na corda bamba de sombrinha. Tentando entender se era bêbado ou equilibrista.
A menina cega não te oferecerá mais rosas e o homem amarrado à pedra, já não corre o risco de se afogar, ele nem se molha mais, mas tenho uma última coisa a te oferecer…
Pegue, guarde esta rosa, pois será a última que lhe darei.
Uma rosa em preto e branco, que já nasceu murcha.. e não é culpa do tempo, nem da distância, são as luzes da cidade que não a deixam viver.
Guardei esta rosa para lhe dar.. a rosa muda, de quem sabe o que dizer num filme sem falas.
E sobre a menina cega, acredite, ela agora pode ver mais do que você imagina.
Agora, vou ver Chaplin e ouvir Suspension em paz, pois aquelas cordas, já não vibram mais.
Durma bem.

 
2 Comentários

Publicado por em 20/05/2011 em Ahhh sei lá, entende?!

 

Message in a bottle…

I don’t know where, I don’t know how, I don’t know when.. but I don’t want to see you going away, as time goes by. I don’t know the right way, I think it’s really hard to find the right way, the right words.. maybe you can help me to find something right. Not the “right something” but maybe a something right, like a glass of water.

There’s not a rule, there’s not walls, but I can see some windows opening by itselfs. Can’t you see?
I can see waterfalls coming directly in our direction. I think there’s water enough for us, or to fill an ocean…

If *the kiss still a kiss and a sigh is just a sigh*,
“Say nighty-night and kiss me,
Just hold me tight and tell me you’ll miss me.”

*As time goes by*
(music and lyrics by Herman Hupfeld)

“Dream a little dream of me”
(Music by Fabian Andre and Wilbur Schwandt and lyrics by Gus Kahn.)

 
4 Comentários

Publicado por em 07/04/2011 em Ahhh sei lá, entende?!

 

Quando fiquei leve

Era época de escassez em sua vida, faltava alegria, faltava ânimo. Suas relações eram cheias de vazios, daqueles vazios ensurdecedores.. e pior, faltava esperança. Já não sabia mais como se pôr de pé, sentia-se perdido, seu mundo estava de pernas pro ar. Faltava ar, não daquele de respirar, faltava-lhe ar.
Então, naquele dia, começou a faltar gravidade e o que não se amarrava, voava até se perder de vista. Olhou assustado ao ver suas coisas indo embora, logo quando pensava não ter mais o que perder nessa vida. Parou, pensou, e na iminência de perder tudo que lhe restava, correu em busca de cordas e fitas adesivas. Precisava salvar algo, precisava prender suas coisas e deixá-las em seus devidos lugares, seguras, inanimadas, inertes.

Entretanto, logo parou e contrariando toda sua concepção de vida, teve um lampejo de lucidez. Resolveu não prender nada ao chão..  Conforme suas coisas iam flutuando, prestes a irem embora, foi se dando conta de que certas coisas que ali estavam, ele nem reconhecia mais, apenas as guardava, deixando-as paradas em algum canto.

Já não compreendia o significado do gatinho de madeira que decorava sua mesa de centro, muito menos da taça de estanho que viu alçar voo da estante lotada de itens semelhantes. Eram cinzeiros de pedra-sabão, potinhos de cerâmica, porta-retratos com rostos desconhecidos, taças de cristal, pequenas estátuas talhadas em madeira e até uma peça de marfim de forma indistinguível. Ele sabia que, em algum momento, aquilo fora especial em sua vida. Mas, de repente, nada mais fazia sentido.

Olhou perplexo, ao perceber que suas coisas já não eram mais suas. Foi então que para sua própria estranheza, pela primeira vez, começou a sentir-se livre e como não sabia o que ia acontecer, aproveitou, se soltou, respirou fundo, sorriu e começou a dançar no teto.. *e o mundo fazia sentido de pernas pro ar, e o mundo visto ao contrário parecia no lugar.*

.

Texto inspirado na letra da música:
Quando fui Fred Aster – Jay Vaquer
*Trecho da música*

Para Renique.
Obrigada. Saudades.. 😉

 
6 Comentários

Publicado por em 06/04/2011 em Ahhh sei lá, entende?!

 

Placas

Cuidado com nossas crianças.. Elas são muito perigosas!!

 

Cuidado! Corra! Criança hipnotizada por pirulito gigante cruzando a pista.

 

(?!?!?!?!)

 

Não dê pirulito para crianças sem braços.

 

Cuidado com o rocambole gigante!!